Inauguração ConeXões/ ConneXions

O harmonioso e inspirador Armazém das Artes, em Alcobaça, recebe, durante o mês de maio de 2019, a exposição luso-francesa ConeXões/ConneXions.
O harmonioso e inspirador Armazém das Artes, em Alcobaça, recebe, durante o mês de maio, a exposição luso-francesa ConeXões/ConneXions.
Vários estilos e técnicas enchem a mezzanine do Armazém das Artes, num total de 116 fotografia (56 portuguesas e 60 francesas).
Temos inclusivamente uma série feita através da técnica do Cianótipo, repescada pelo Jean Charles Devigne aos primórdios da fotografia.
José Aurélio, o mentor do espaço, honrou-nos com a sua presença na inauguração.
Houve um souvenir especial para os 11 fotógrafos portugueses e para os 12 fotógrafos franceses.
Foi uma inauguração muito concorrida, com a presença de 6 dos colegas franceses.
Oportunidade para partilha de clicks, mas também de histórias.
Os trabalhos eram variados e até mesmo surpreendentes.
O público nunca sabia o que esperar do conjunto seguinte.
Havia um surpresa em cada novo autor.
O Eduardo Barrento posou para a posteridade com o Didier Gautier, o seu binome, com quem desenvolvera em conjunto um trabalho conceptual.
Aqui posavam as autoras que partilharam um desafio semelhante, mas a 3 mãos: a portuguesa Sónia Honório e as francesas Dominique Le Cavelier e Brigitte Delalande.
Parabéns a todos os autores!
Agradecimentos especiais ao João Daniel, Jorge Prata e Sónia Honório pela curadoria da exposição, ao Rogério Coelho, por ter sido a cola que permitiu montar esta empresa, a todos os visitantes e a todos que ajudaram a levantar a exposição e, claro, ao José Aurélio pela cedência do Armazém das Artes.
A exposição estará aberta sábados 18 e 25 de maio, das 14 às 22 horas e domingos 12, 19 e 26 de maio, das 10 às 20 horas.
Depois segue para França, onde estará patente em Rennes, durante o mês de setembro.

A bientot!

Fotografias: A.M.Catarino, Fernando Freire e Pedro Aires

A. M. Catarino

View posts by A. M. Catarino
Residente em Benedita, onde nasceu no ano de 1973, António Manuel Teixeira Catarino define-se como sociólogo de formação, formador por vocação, fotógrafo por paixão e escritor por natureza. Apaixonado pela fotografia desde sempre, adquiriu aos 28 anos a primeira máquina fotográfica reflex, decidido a levar o hobby mais a sério. Colaborar como formador freelancer em diversos centros de formação da zona oeste, permitiu-lhe explorar fotograficamente Nazaré, Peniche, Caldas da Rainha, entre outros, depois do horário de trabalho.
Scroll to top